A vaidade ajuda manter a  saúde dos idosos

A vaidade ajuda manter a  saúde dos idosos, pois significa amor-próprio e quem se ama se cuida no todo.Encontrar satisfação ao encarar o espelho pode ser um desafio em qualquer idade, mas com o passar do tempo os pequenos cuidados com a aparência ganham outros significados. Não perder a própria essência, reservar um momento para si mesmo e até descobrir novas possibilidades.

A terceira idade está mais vaidosa. Junto com o aumento da expectativa de vida, vem a vontade de se manter bem fisicamente. A vaidade é construída ao longo da vida, mas pode aflorar quando se tem mais tempo para cuidar de si, com a aposentadoria e o crescimento dos filhos. A preocupação com os cuidados estéticos na terceira idade é muito bem-vinda uma vez que trabalha com a autoestima. Fazer as unhas, passar batom, pintar os cabelos, fazer massagem, entre outros mimos, está longe de ser uma futilidade.

26 de Abril, Dia Nacional de prevenção à Hipertensão Arterial

A hipertensão ocorre quando a pressão do sangue causada pela força de contração do coração e das paredes das artérias para impulsionar o sangue para todo o corpo acontece de forma intensa, sendo capaz de provocar danos na sua estrutura.
Para algumas pessoas ter uma pressão abaixo de 12/8, como, por exemplo, 10/6, é normal. Já valores iguais ou superiores a 14 (máxima) e/ou 9 (mínima) são considerados como hipertensão para todo mundo.
Sintomas:
Tontura, falta de ar, palpitações, dor de cabeça frequente e alteração na visão podem ser sinais de alerta para alteração na função de bombeamento do sangue, entretanto, a hipertensão geralmente é silenciosa, por isso é importante a medida regular da pressão arterial.
Principais Causas:
Obesidade, histórico familiar, estresse e envelhecimento estão associados ao desenvolvimento da hipertensão. O sobrepeso e a obesidade podem acelerar até 10 anos o aparecimento da doença. O consumo exagerado de sal, associados a hábitos alimentares não adequados também colaboram para o surgimento da hipertensão.
Tratamento e cuidados após o diagnóstico:
A hipertensão, na grande maioria dos casos, não tem cura, mas pode ser controlada. Nem sempre o tratamento significa o uso de medicamentos, sendo imprescindível a adoção de um estilo de vida mais saudável, como mudança de hábitos alimentares, redução do consumo de sal, atividade física regular, não fumar, consumo de álcool com moderação, entre outros.
Complicações:
As principais complicações da hipertensão são derrame cerebral, também conhecido como AVC, infarto agudo do miocárdio e doença renal crônica. Além disso, a hipertensão pode levar a uma hipertrofia do músculo do coração, causando arritmia cardíaca. O tratamento de hipertensão de forma continua, amplia a qualidade e expectativa de vida.
Prevenção e controle:
– manter o peso adequado, se necessário, mudando hábitos alimentares;
– não abusar do sal, utilizando outros temperos que ressaltam o sabor dos alimentos;
– praticar atividade física regular;
– aproveitar momentos de lazer;
– abandonar o fumo;
– moderar o consumo de álcool;
– evitar alimentos gordurosos;
– controlar o diabetes.

Vida Saudável – Cuidando do coração na terceira idade

Segundo o Ministério da Saúde, doenças do aparelho circulatório foi a principal cana usa de internação de idosos na rede pública e hospitais conveniados ao SUS, em 2018. De acordo com a pesquisa, 77% dos brasileiros, o maior temor sobre a velhice são os problemas de saúde.

À medida que envelhecemos, não é só a pele que fica enrugada, os cabelos que ficam mais brancos. Internamente, alguns órgãos também mudam com o tempo. É o caso do coração. Sim, o coração do idoso bate diferente.

Visando oferecer maior qualidade de vida às pessoas que já passaram dos 60 anos, especialistas orientam a prática de exercícios físicos.

Assim como buscamos o exercício para ficar em forma, deveríamos pensar em como a atividade física ajuda a deixar o coração firme e forte. Malhando, caminhando, pedalando ou dançando, o importante é se mexer.

Na hora de escolher a atividade física, o idoso deve se preocupar primeiro em passar por um médico. “ É importante procurar um cardiologista para fazer uma avaliação clínica e uns exames.

Se estiver tudo bem, a pessoa é liberada para fazer uma atividade, que pode ser caminhada, natação, andar de bicicleta, fazer academia… O ideal é fazer pelo menos 30 minutos de atividade diariamente. Qualquer atividade. Os benefícios são de curto e de longo prazo”, orienta o educador físico, Geraldo Lima.

Curitiba está pronta para vacinação contra a gripe – Idoso é prioridade

Até 31 de maio, serão vacinadas pessoas maiores de 60 anos, gestantes, mães de bebês nascidos até 45 dias, crianças entre 6 meses e 6 anos incompletos, profissionais da saúde, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis ou outras condições clínicas especiais e professores da rede pública e privada.

Aos 84 anos, o aposentado Leônidas Tosi foi até a Unidade de Saúde Guaíra, nesta segunda-feira (22/4), tomar a vacina contra a gripe, no primeiro dia de cobertura para todos os públicos prioritários indicados pelo Ministério da Saúde.

A meta, em Curitiba, é vacinar pelo menos 90% das 535 mil pessoas que integram o público-alvo, o que corresponde a 481,5 mil pessoas.

Em 4 de maio haverá o “Dia D” da mobilização, um sábado em que alguns postos de saúde abrirão para ampliar o acesso aos usuários dos públicos prioritários.

A secretária municipal da Saúde, Marcia Huçulak, lembrou outras formas de prevenção da gripe. “Higienizar as mãos com álcool gel ou lavar com água e sabão, evitar aglomerações e locais fechados são outros cuidados que ajudam contra a doença”, reforçou a secretária.

Os benefícios da convivência dos idosos com os netos

Não é preciso muito esforço para notar como a interação entre netos e avós é positiva. Um estudo, feito pelo Boston College, nos Estados Unidos, comprova isso. Durante 19 anos foram estudados 374 avós e 356 netos. O objetivo era entender a influência dessa convivência, tanto na vida das crianças, como na dos idosos.

Os resultados revelam que os dois lados se beneficiam desse relacionamento. Para os avós, a conexão permite contato com uma geração muito mais nova e, consequentemente, uma abertura a novas ideias. Para os netos, os idosos oferecem a sabedoria adquirida durante a vida – e esse conhecimento acaba sendo incorporado pelas crianças quando elas se tornam adultas.
Os avós também costumam passar às novas gerações muitas histórias sobre o passado, o que é enriquecedor para qualquer criança. Além de tudo isso, os pesquisadores também concluíram que a relação avós-netos pode ajudar a diminuir vários sintomas de doenças para ambas as partes.

A convivência é muito benéfica para ambos, especialmente porque os avós estão, na maioria das vezes, em uma etapa da vida em que podem aproveitar os netos melhor do que aproveitaram os próprios filhos: levar para passear e brincar, para os avós, não é uma obrigação ou uma forma de gastar a energia da criança, mas uma oportunidade deliciosa de curtir o neto e se divertir de verdade com ele”, explica a psicóloga Rita Calegari.

Solidão maltrata o corpo e a mente dos idosos

Solidão – “Um importante indicador para o bem-estar do idoso é a participação social. A presença do idoso em atividades em grupos contribui  para melhoria da autoestima e da autonomia.”

Nos últimos anos, diversos estudos têm apontado uma forte associação entre a solidão e a incidência de doenças crônicas em idosos. A propósito os pesquisadores da Universidade de Chicago descobriram que o isolamento pode aumentar o risco de morte em 14% nas faixas etárias mais avançadas. O trabalho, liderado pelo psicólogo e especialista no assunto John Cacioppo, descobriu que o estresse provocado induz respostas inflamatórias nas células, afetando, entre outras coisas, a produção dos leucócitos, estruturas que defendem o organismo de infecções.

Uma outra pesquisa, da Universidade de Brigham Young, publicada na revista especializada Perspectives on Psycological Science, comparou estatísticas de mortalidade e constatou que a solidão é tão prejudicial à saúde quanto fumar 15 cigarros por dia ou ser alcoólico. Recentemente, a revisão de 23 artigos científicos levou pesquisadores da Universidade de York a concluir que a solidão aumenta em 29% o risco de doenças coronarianas e em 32% o de acidentes vasculares. “Intervenções focadas na solidão e no isolamento social podem ajudar a prevenir duas das principais causas de morte e incapacidade em países de renda alta”, alertaram os autores.

Um importante indicador para o bem-estar do idoso é a participação social. A presença do idoso em atividades em grupos contribui satisfatoriamente para melhoria da autoestima e da autonomia. O idoso não é um ser apenas passivo. Ele tem potencial para realizar diversas atividades e necessita de incentivo e respeito para vivenciar um envelhecimento feliz e saudável. A velhice não deve ser vista como o fim de um ciclo, mas como uma das fases naturais do curso de vida de qualquer pessoa, devendo ser vivenciada em sua plenitude.

Ler mais

A depressão na vida dos idosos

Conhecer um pouco mais sobre as causas, os principais sintomas e as melhores formas de tratamento para vencer a depressão na terceira idade é fundamental. Essa doença está em plena expansão: atinge um número de pessoas cada vez maior e os dados estatísticos são preocupantes.

Recentemente, a Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou que o Brasil é um dos países mais afetados pela depressão. Como nos idosos a evolução da doença é diferente, é necessário buscar informações coerentes e que indiquem as melhores condutas para superar os efeitos desse problema.

O primeiro passo é identificar a doença. O problema é que muitas vezes os sinais passam despercebidos, especialmente para quem tem mais de 60 anos. Muitas pessoas partem do pressuposto de que é normal o idoso ser triste, com isso, não buscam ajuda médica.

A depressão ainda não tem uma causa específica. Entretanto, ela pode ser desencadeada em decorrência de fatores biológicos, psicológicos e sociais. Além da carência afetiva — própria do envelhecimento — as crises depressivas podem surgir a partir de uma série de problemas.

Para a melhor compreensão do tema, confira os mais comuns:

limitações mentais;

incapacidades físicas;

diminuição da autoestima;

afastamento da família e dos amigos;

perda da função social mediante a aposentadoria;

diagnóstico de doenças graves como AVC;

problemas relacionados à vida sexual;

redução da expectativa de vida;

falecimento do cônjuge;

surgimento de câncer.

Assim, é fundamental priorizar medidas que permitam passar pela terceira idade com boa saúde e, principalmente, com equilíbrio mental e emocional. Desse modo, vale a pena investir em aspectos saudáveis e em atitudes que promovam a qualidade de vida e o bem-estar.

Logo, desde a juventude, deve-se aprender a cultivar valores como a sabedoria e o bom senso. Contudo, não se pode deixar de lado as oportunidades de novas experiências e sensações. Afinal, como diz o filósofo e professor da USP Mário Sérgio Cortella, “o que levamos da vida é a vida que a gente leva.”

O que fazer para ter uma velhice feliz

..

Deixar a vida te levar e esperar para ver no que vai dar definitivamente não é uma postura recomendada para quem deseja ter um futuro seguro e uma velhice tranquila. A partir do momento em que nascemos se inicia o processo de envelhecimento e todas as atitudes que tomamos e os fatores externos aos quais somos submetidos, podem influenciar na qualidade de vida que teremos quando atingirmos a terceira idade.

Ao contrário do que se prega por aí, a velhice não é uma fase limitada. Para muita gente, a terceira idade é o momento de aproveitar a vida sem se preocupar com trabalho ou filhos. É um ciclo diferente e ao mesmo tempo muito especial, pois se configura como uma excelente oportunidade para viver intensamente, com o benefício de ter uma experiência a mais para lidar com situações diversas.

Se você tomar as decisões corretas hoje, a sua velhice pode ser a fase mais prazerosa e tranquila da sua vida. Basta se planejar! Além disso, se você gosta do padrão de vida que possui hoje, deve já ficar de olho na aposentadoria para conseguir mantê-lo.

Arte & Cuidar – cuidando dos idosos com amor e sensibilidade

 

A Arte e Cuidar Residência de Cuidado e Apoio à Saúde, oferece atendimento integral aos cuidados da saúde dos idosos. Uma equipe multiprofissional atende 24 horas os hóspedes da terceira idade, presentes nos 4 endereços residenciais da Arte e Cuidar.

A Arte e Cuidar destaca que a preocupação com a qualidade de vida do idoso vai além dos cuidados com saúde, alimentação, higiene e mobilidade. As introduções de atividades recreativas, como passeios ao ar livre e companhia para leituras, podem representar um ganho de autoestima e liberdade para o idoso.

A Arte e Cuidar está pronta para atender os pacientes que apresentam patologias ou condições que afetam a saúde deles sob vários aspectos. São situações que demandam atendimento por multiprofissionais de forma humana e afetiva.

Curitiba mais acessível aos idosos

– O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (CREA/PR) apresentou um estudo sobre a acessibilidade de calçadas para idosos em Curitiba.

– Segundo o relatório, quanto melhor é a qualidade da calçada mais o idoso caminha pelo próprio bairro. O estudo também destaca que a principal reclamação dos idosos é com relação à segurança nos bairros da cidade.

– Os dados foram apresentados no Fórum de Acessibilidade, promovido pelo Crea-PR na última segunda-feira. (08/04).

– Participaram do estudo 620 idosos de Curitiba. Segundo o coordenador do Estudo no Brasil, Adriano Akira, o objetivo é aproximar os poderes público e privado para trazer melhorias na acessibilidade da cidade.

– Entre os problemas identificados pelos idosos estão o acesso as áreas de lazer da cidade e as opções de lazer que cada bairro oferece aos idosos.

× WhatsApp