A conquista da felicidade na Terceira Idade

A terceira idade não deve ser considerada e nem vivida como sinônimo de ranzinzice ou sedentarismo, mas sim de saúde e alegrias, pois a felicidade não tem prazo de validade e quanto mais o tempo passa, mais se percebe o quanto valeu a pena os anos vividos e as experiências vívidas na memória.

O idoso merece e necessita atenção e cuidados especiais pela fase de vida em que se encontra. Após uma existência de trabalho, dedicação ao cuidado de filhos, sobrinhos, entre muitas venturas e desventuras experienciadas, encontra agora o esgotamento das forças físicas e, na grande maioria das vezes, também o esgotamento de possibilidades de realização profissional e social.

O envelhecimento impõe a necessidade de saber lidar com as perdas. Do ponto de vista físico, vem a perda progressiva da saúde, da musculatura, da memória, da audição e visão, e das melhores condições de navegabilidade em um corpo que vai inspirando cada vez mais cuidados

No âmbito social, os efeitos do envelhecimento são múltiplos. Aposentados perdem o contato com os colegas de trabalho. Amigos de muitos anos ou se afastam ou vão desencarnando e a experiência da solidão – muito comum nesta fase da vida – requer atenção das pessoas próximas e algum movimento no sentido contrário, evitando-se o isolamento.

Cuidar e conviver com o idoso é mais uma manifestação da bondade Divina, ensejando-nos construir a ventura de nossos dias vindouros através da prática da caridade e do amor ao próximo, conforme nos exorta o Mestre Jesus e nos acrescenta o mestre lionês Allan Kardec, afirmando que Fora da caridade não há salvação.

Boa Saúde – Cuidados com os idosos no Outono

-No outono os idosos estão entre os grupos que mais sofrem com as alterações climáticas, uma vez que o funcionamento de seu corpo/organismo já não é tão eficiente quanto o de um jovem. Nessa época do ano, as principais doenças que atingem os idosos são as respiratórias, que são causadas por vírus e alergias. Sem falar nas dores reumáticas, que tendem a aumentar nesses meses mais frios.

-Para driblar essas consequências do outono existem algumas práticas que, ao serem realizadas, diminuem, e muito, os riscos de sofrer nesta época do ano, são elas: Alimentar-se adequadamente; Beber bastante água; Praticar exercícios; Manter a casa sempre limpa e arejada; Evitar ambientes fechados, com aglomeração de pessoas; Evitar ficar perto de pessoas que fumem; Manter a higiene corporal e das mãos em dia.

-Além disso, o ideal também é sempre observar as inflamações das vias aéreas, como as faringites, laringites, sinusites, alergias, rinites e gripe. Ao perceber os sintomas das doenças comuns dessa época do ano, não se automedique, procure o serviço de saúde e investigue o seu caso.

Medicamento para idosos: veja como controlar

As pessoas mais velhas precisam de vários medicamentos diários. Isso faz com que enfrentem certa dificuldade na administração das doses e precisem de ajuda. Portanto, manter o controle da medicação para idosos é a melhor opção. Esse fator ajuda a conservar a organização e a qualidade de vida dos idosos, mantendo as doenças sob controle, garantindo o alívio de dores e desconfortos, além de preservar o idoso dos riscos de superdosagens.

Organize os horários e as doses a serem tomadas

Para controlar a medicação para idosos, é preciso ter um sistema de organização que assegure a administração correta de tudo o que eles precisam. O ideal é utilizar caixas com divisórias, que separam os medicamentos que devem ser tomados no café da manhã, almoço, jantar e antes de dormir, de modo a organizar os horários e evitar doses incorretas ou desnecessárias.

Procure sempre guardar todas as embalagens vazias. Além de conservar o número de doses e horários de cada um, acrescente a data em que o idoso tomou todos esses comprimidos e alguns comentários pertinentes, como se foram bem ou mal tolerados.

E não esqueça de manter o seu médico sempre bem informado sobre a rotina de remédios  que o idoso está tomando.

Depressão em idosos – veja como prevenir

Depressão em idosos veja como prevenir – Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), pessoas entre 60 e 64 anos de idade representam a faixa etária com maior proporção (11%) de diagnóstico de depressão. E este índice só vem aumentando com o passar dos anos.

Os fatores que podem estar acarretando no aumento da incidência da depressão em idosos são: aposentadoria e a consequente sensação de inutilidade, falta de realização profissional, redução de renda e dificuldades financeiras, isolamentos sociais, incidência de outras doenças e a morte de amigos e familiares.

Como prevenir a depressão em idosos

Ainda que exista tratamento adequado para a depressão, prevenir sempre é a melhor opção. A melhor alternativa para evitar a doença, sem dúvidas, é incentivar os idosos à qualidade de vida generalizada, com uma rotina ativa e cultivar boas relações sociais.

Artrose uma das principais doenças da terceira idade

Artrose uma das principais doenças da terceira idade

“A doença atinge 85% da população acima de 75 anos.”

Em 2018, o total de brasileiros acima de 60 anos superou a marca de 30 milhões. Com o aumento da faixa etária nacional, mudam também as necessidades e os cuidados com a saúde.

A artrose, nome popular da osteoartrite, é uma das causas mais comuns de perda de qualidade de vida e autonomia na terceira idade. Caracterizada por um desgaste das articulações que revestem os ossos, pode ocorrer em qualquer lugar do corpo – em especial, joelho, quadril, costas e mãos.

Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), a doença é responsável por 7,5% de todos os afastamentos de trabalho. Por ser uma condição que se intensifica ao longo dos anos, ela é mais frequente a partir dos 60 anos. Ainda segundo a SBR, 85% das pessoas acima dos 75 anos têm evidência radiológica ou clínica de osteoartrite.

O dano no tecido provoca um processo inflamatório local – a artrite – e dores intensas e dificuldade de locomoção, além de deformidades, rigidez e inchaço.
De olho na tendência de envelhecimento da população e buscando manter a qualidade de vida dos pacientes, o objetivo dos médicos é centrado na prevenção da osteoartrite.

A principal providência é identificar fatores de risco, além do avançar da idade, que possam ser corrigidos. Entram na lista excesso de peso, uso de alguns medicamentos como corticoides, drogas, cigarro, álcool, esportes de alto impacto e doenças autoimunes como a artrite reumatoide.

A força da atividade física
O hábito de se exercitar é um dos grandes aliados para prolongar a vida útil das articulações. A prática de exercícios fortalece os músculos, que ajudam a absorver o impacto, além de aumentar a irrigação de substâncias benéficas para a articulação.

Idosos devem ter acompanhamento de um fisioterapeuta

Idosos devem ter acompanhamento de um fisioterapeuta

Com a proximidade da terceira idade, é natural que o corpo se torne mais frágil e surjam algumas doenças consideradas graves como problemas cardíacos, dores musculares e nas articulações.

É justamente por isso que pessoas com mais de 60 anos devem ter acompanhamento de um fisioterapeuta. Nesses casos, além de tratamento, a especialidade também serve como prevenção de novos males, agregando qualidade de vida para o idoso.

Pelo processo de envelhecimento, ossos, tendões e músculos ficam mais frágeis. É normal. A fisioterapia preventiva pode evitar problemas ou atuar prevenindo sequelas, como após um AVC.

O tratamento fisioterápico ajuda, por exemplo, na correção de posturas viciosas, que dificultam as atividades diárias do idoso. Além de ajudar o paciente a recorrer menos ao uso de medicamentos.

A fisioterapia preventiva é uma alternativa para o exercício físico. Quando associada a outras terapias, como pilates e acupuntura, a fisioterapia ajuda no controle da insônia, da pressão arterial e até da depressão.

– Arte e Cuidar, atendimento integral equipe multiprofissional. Agende uma visita.

× WhatsApp