Unidade de Retaguarda Arte e Cuidar.

Estamos nos adaptando à nova situação e pensando na segurança de nossos residentes e funcionários implementamos uma Unidade de Retaguarda Arte e Cuidar.


Essa Unidade é uma Residência extra, localizada no Seminário que atenderá exclusivamente aos idosos que tiverem suspeita ou confirmação do Covid-19. Evitando o contágio dos demais.
Ela está pronta e preparada caso precise ser utilizada. O padrão é o mesmo das outras residências, com toda a estrutura necessária e pessoal específico e qualificado no atendimento aos idosos.

Somos a primeira Casa de Apoio e cuidado à saúde de idosos a Lançar um Plano de Contingência contra o Covid-19.
Estamos sempre pensando em inovações e em como manter a segurança dos nossos queridos residentes e funcionários.
Esperamos não precisar, mas caso aconteça, estamos prontos e preparados para manter a segurança de todos.

Qual o melhor momento para procurar um Geriatra?

Sim, especialistas consultados pela Agência Brasil, garantem: é possível envelhecer com qualidade de vida.Quanto mais cedo o especialista for consultado, melhor será a qualidade de vida após os 60 anos. O acompanhamento preventivo é muito importante para se ter uma velhice saudável.


Depois dos 40 ou 50 anos, várias doenças começam a surgir e são tantos especialistas que temos que procurar, que a necessidade de se averiguar o todo é cada vez maior. É nesse contexto que surge a figura do médico geriatra.


O ápice do corpo humano ocorre aos 30 anos. A partir daí, começa o processo de envelhecimento de cada célula, ou seja, é hora de procurar um clínico geral especializado nas doenças mais comuns ao envelhecimento, que é o geriatra.


Porém, a maioria das pessoas só procuram o especialista quando já estão na terceira idade e muitas vezes o médico encontra situações que poderiam ter sido prevenidas ou até mesmo evitadas se fossem averiguadas mais cedo. Procurar o geriatra antes de chegar à terceira idade impacta positivamente na saúde do idoso, já que ele poderá tratar condições antes que se tornem doenças.


Para muitas pessoas, consultar um geriatra é assumir que está velho e aí surge o preconceito de procurar o médico antes dos 40 anos como meio de prevenção. A verdade é que não tem jeito. Nosso corpo envelhece, sim, e mais rápido do que pensamos. Se esse envelhecimento será saudável ou não, e uma questão de estratégia.


O geriatra, pode antever como será o envelhecimento e orientar uma mudança de estilo de vida. A conclusão é que não há solução mágica para uma velhice saudável. É preciso fazer um esforço quando ainda é jovem.

Envelhecer com qualidade de vida é possível?

Sim, especialistas consultados pela Agência Brasil, garantem: é possível envelhecer com qualidade de vida.

Segundo o médico geriatra e diretor científico da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) Renato Bandeira de Mello, qualidade de vida é algo subjetivo: depende da percepção do indivíduo sobre o que é felicidade.

Mas, em termos gerais, acrescenta o geriatra, qualidade de vida na velhice está associada a vida ativa: a busca por hábitos saudáveis como atividade física, alimentação saudável e a manter a mente estimulada com novas atividades. Outro fator associado à qualidade de vida na terceira idade são as relações sociais. “Isso significa contato com a família, amigos e colegas de trabalhos”, resume Mello.

Família

O papel da família para a qualidade de vida do idoso, além de relevante, está previsto em leis. “Mais do que um papel, os familiares têm obrigação com os idosos. Isso, inclusive, é respaldado pelo Estatuto do Idoso”, explica o diretor da SBGG.

Nesse sentido, o estatuto prevê que a família se envolva nos cuidados e na proteção do idoso, “respeitando os seus limites e a autonomia a fim de não o cercear de suas liberdades e desejos”, acrescenta Mello.

Coordenadora-geral do Conselho Nacional dos Direitos do Idoso, Eunice Silva destaca ser o ambiente familiar o que registra a maioria das violações de direitos da pessoa idosa. Segundo ela, entre os fatores que resultam em enfermidades, quedas, demência e internamentos prolongados estão a violência doméstica, os maus tratos e o abandono.

“É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do poder público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, educação, cultura, esporte, lazer, trabalho, cidadania, liberdade e dignidade, ao respeito e às convivências familiar e comunitária”, argumenta a coordenadora do conselho que é vinculado ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH).

Sociedade

De acordo com o médico geriatra e diretor da SBGG, no caso de idosos doentes que precisam de cuidado especial, além do apoio familiar é necessário o apoio da sociedade, que precisa estar atenta também às próprias mudanças que acontecem ao longo do tempo.

“Há que se pensar que, no futuro, os núcleos familiares serão menores. Precisaremos encontrar meios para construir uma sociedade que possa cuidar do idoso”, disse ao lembrar que a qualidade de vida dos idosos depende, ainda, de infraestruturas e de relações que enxerguem esse público não apenas como consumidor, mas como potencial colaborador.

“Bancos, lojas, mercados, transportes e outros serviços e estabelecimentos precisam buscar formas de inclusão, não apenas como consumidor, mas também como força de trabalho”, disse ele à Agência Brasil.

Saúde

Entre as políticas públicas ofertadas pelo Ministério da Saúde (MS) aos idosos está a Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa, que é oferecida gratuitamente a este público. Mais de 3 milhões de cadernetas foram entregues a municípios em 2018.

De acordo com a pasta, essa caderneta passou por algumas atualizações, que permitem melhor conhecer as necessidades de saúde dessa população atendida na atenção primária, de forma a melhor identificar o comprometimento da capacidade funcional, condições de saúde, hábitos de vida e vulnerabilidades.

A caderneta apresenta, ainda, orientações relativas alimentação saudável, atividade física, prevenção de quedas, sexualidade e armazenamento de medicamentos.

Em outra frente de ações – neste caso voltada a profissionais de saúde e gestores, ajudando-os na tarefa de melhorar a qualidade de vida dos idosos – o MS disponibilizou o aplicativo Saúde da Pessoa Idosa. Ele pode ser obtido gratuitamente por meio do Google Play.

Acidentes

De acordo com a SBGG, as principais causas de mortes acidentais de idosos são atropelamento e quedas, o que, segundo seu diretor, pode levar a consequências diretas, como lesões e fraturas, e indiretas, como medo de cair e isolamento social, entre outros.

“A maior parte das quedas da própria altura ocorrem em casa por falta de adaptação do ambiente, excesso de obstáculos, falta de barras de apoio, presença de piso sem antiderrapante e que são perigos contínuos na vida do idoso”, acrescenta o médico geriatra.

A fim de prevenir esse tipo de acidentes, que podem resultar em fraturas, traumatismo craniano, contusão muscular e, principalmente, o medo de cair novamente, o Ministério da Saúde listou uma série de dicas aos idosos (veja abaixo).

Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br/

Depressão em idosos – veja como prevenir

Depressão em idosos veja como prevenir – Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), pessoas entre 60 e 64 anos de idade representam a faixa etária com maior proporção (11%) de diagnóstico de depressão. E este índice só vem aumentando com o passar dos anos.

Os fatores que podem estar acarretando no aumento da incidência da depressão em idosos são: aposentadoria e a consequente sensação de inutilidade, falta de realização profissional, redução de renda e dificuldades financeiras, isolamentos sociais, incidência de outras doenças e a morte de amigos e familiares.

Como prevenir a depressão em idosos

Ainda que exista tratamento adequado para a depressão, prevenir sempre é a melhor opção. A melhor alternativa para evitar a doença, sem dúvidas, é incentivar os idosos à qualidade de vida generalizada, com uma rotina ativa e cultivar boas relações sociais.

A vaidade ajuda manter a  saúde dos idosos

A vaidade ajuda manter a  saúde dos idosos, pois significa amor-próprio e quem se ama se cuida no todo.Encontrar satisfação ao encarar o espelho pode ser um desafio em qualquer idade, mas com o passar do tempo os pequenos cuidados com a aparência ganham outros significados. Não perder a própria essência, reservar um momento para si mesmo e até descobrir novas possibilidades.

A terceira idade está mais vaidosa. Junto com o aumento da expectativa de vida, vem a vontade de se manter bem fisicamente. A vaidade é construída ao longo da vida, mas pode aflorar quando se tem mais tempo para cuidar de si, com a aposentadoria e o crescimento dos filhos. A preocupação com os cuidados estéticos na terceira idade é muito bem-vinda uma vez que trabalha com a autoestima. Fazer as unhas, passar batom, pintar os cabelos, fazer massagem, entre outros mimos, está longe de ser uma futilidade.

Vida Saudável – Cuidando do coração na terceira idade

Segundo o Ministério da Saúde, doenças do aparelho circulatório foi a principal cana usa de internação de idosos na rede pública e hospitais conveniados ao SUS, em 2018. De acordo com a pesquisa, 77% dos brasileiros, o maior temor sobre a velhice são os problemas de saúde.

À medida que envelhecemos, não é só a pele que fica enrugada, os cabelos que ficam mais brancos. Internamente, alguns órgãos também mudam com o tempo. É o caso do coração. Sim, o coração do idoso bate diferente.

Visando oferecer maior qualidade de vida às pessoas que já passaram dos 60 anos, especialistas orientam a prática de exercícios físicos.

Assim como buscamos o exercício para ficar em forma, deveríamos pensar em como a atividade física ajuda a deixar o coração firme e forte. Malhando, caminhando, pedalando ou dançando, o importante é se mexer.

Na hora de escolher a atividade física, o idoso deve se preocupar primeiro em passar por um médico. “ É importante procurar um cardiologista para fazer uma avaliação clínica e uns exames.

Se estiver tudo bem, a pessoa é liberada para fazer uma atividade, que pode ser caminhada, natação, andar de bicicleta, fazer academia… O ideal é fazer pelo menos 30 minutos de atividade diariamente. Qualquer atividade. Os benefícios são de curto e de longo prazo”, orienta o educador físico, Geraldo Lima.

O que fazer para ter uma velhice feliz

..

Deixar a vida te levar e esperar para ver no que vai dar definitivamente não é uma postura recomendada para quem deseja ter um futuro seguro e uma velhice tranquila. A partir do momento em que nascemos se inicia o processo de envelhecimento e todas as atitudes que tomamos e os fatores externos aos quais somos submetidos, podem influenciar na qualidade de vida que teremos quando atingirmos a terceira idade.

Ao contrário do que se prega por aí, a velhice não é uma fase limitada. Para muita gente, a terceira idade é o momento de aproveitar a vida sem se preocupar com trabalho ou filhos. É um ciclo diferente e ao mesmo tempo muito especial, pois se configura como uma excelente oportunidade para viver intensamente, com o benefício de ter uma experiência a mais para lidar com situações diversas.

Se você tomar as decisões corretas hoje, a sua velhice pode ser a fase mais prazerosa e tranquila da sua vida. Basta se planejar! Além disso, se você gosta do padrão de vida que possui hoje, deve já ficar de olho na aposentadoria para conseguir mantê-lo.

Curitiba mais acessível aos idosos

– O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (CREA/PR) apresentou um estudo sobre a acessibilidade de calçadas para idosos em Curitiba.

– Segundo o relatório, quanto melhor é a qualidade da calçada mais o idoso caminha pelo próprio bairro. O estudo também destaca que a principal reclamação dos idosos é com relação à segurança nos bairros da cidade.

– Os dados foram apresentados no Fórum de Acessibilidade, promovido pelo Crea-PR na última segunda-feira. (08/04).

– Participaram do estudo 620 idosos de Curitiba. Segundo o coordenador do Estudo no Brasil, Adriano Akira, o objetivo é aproximar os poderes público e privado para trazer melhorias na acessibilidade da cidade.

– Entre os problemas identificados pelos idosos estão o acesso as áreas de lazer da cidade e as opções de lazer que cada bairro oferece aos idosos.

Cuidar do corpo e da alma é ideal para uma terceira idade feliz

 

Foi-se o tempo em que os idosos deixavam de participar ativamente na sociedade por motivos de saúde. Atualmente, o acesso a programas preventivos e a busca pelo envelhecimento saudável mudaram esse paradigma e provaram que é possível continuar ativo e com boa qualidade de vida na terceira idade. No entanto, é preciso observar algumas dicas para envelhecer de forma sadia. 
Doenças
Para ser saudável é preciso cuidar do corpo o quanto antes. As doenças metabólicas são as de maior incidência na terceira idade. Pressão alta, diabetes, colesterol, osteoporose, problemas na tireoide, osteoartrose e também problemas emocionais, como depressão e ansiedade. O importante é que todas essas doenças são manejáveis quanto antes forem tratadas.
Praticar esportes
É fundamental para preservar a mobilidade e, de quebra, ajuda também na parte emocional. A atividade física, quando trabalhada adequadamente, vai preservar a musculatura e, consequentemente, a funcionalidade física. Dependendo da atividade, também vai trazer benefício no aspecto emocional.
Socialização
Para completar e atingir o equilíbrio, a vida social é imprescindível aos idosos. Uma pessoa que está isolada tem chance maior de ter depressão, de receber menos cuidados. Ela acaba ficando mais largada com a própria saúde, há, inclusive, maior chance de ficar desnutrida, pois quem mora sozinho muitas vezes não vai cozinhar só para si.
Além disso, a chance de procurar ajuda médica tardiamente é maior – e há consequências para isso. Ter amigos e se socializar, portanto, é ainda mais indispensável nessa idade.

No 07 de Abril comemora-se o Dia Mundial da Saúde

O Dia Mundial da Saúde foi criado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), em 1948, devido a preocupação de seus integrantes em manter o bom estado de saúde das pessoas em todo o mundo, e também alertar sobre os principais problemas que podem atingir a população mundial.

A data comemorativa destaca a importância da qualidade de vida dos idosos. Para manter a qualidade de vida e saúde de um idoso, é necessário que a família tenha atenção a muitos aspectos. É importante estar atento quanto a alimentação, a atividade física, o controle de medicamentos, a segurança, visitas ao médico e também a vida social.

Por mais independente que seja o idoso, os cuidados gerais mais importantes devem ficar a cargo de outra pessoa que possa estar sempre presente, como um cuidador familiar ou profissional. Entre as tarefas mais comuns para as quais um idoso precisa de ajuda estão cuidar da higiene pessoal, preparar refeições, ir ao médico e lidar com as finanças pessoais, entre outras.

Dieta e atividade física
O acompanhante ou cuidador deve prestar atenção especial à dieta do idoso, para que ele mantenha sempre um equilíbrio entre os grupos alimentares adequados e evite excessos. O cuidador ainda deve manter o idoso sempre hidratado, oferecendo uma quantidade suficiente de líquidos ao longo do dia. Para ajudar a manter o bem-estar, o ideal ainda é que seja estimulada a adoção de uma atividade física simples, como caminhada.
Medicação em dia
Se o idoso faz uso de medicamentos, é sempre importante estar atento aos horários e doses diárias para evitar o agravamento de doenças. O uso de uma caixa organizadora é altamente recomendável nesses casos, pois auxilia tanto o cuidador quanto o idoso a manter a medicação em dia.

Segurança no ambiente Quando se fala em segurança para os idosos, a indicação é tornar o ambiente de casa tão seguro quanto for possível, da mesma forma que seria feito para uma criança. Entre os elementos necessários estão: corrimãos em todas as escadas, rampas de acesso se necessário, boa iluminação, uso de tapetes antiderrapantes, apenas para citar alguns exemplos.

Consultas regulares ao Geriatra A avaliação do geriatra integra diversos aspectos que interferem diretamente na vida do idoso. Isso porque, essa especialidade da medicina estuda o idoso e o processo de envelhecimento. Sendo assim, ele avalia diversos aspectos, entre eles: clínico, cognitivo, afetivo, ambiental, social, econômico, espiritual e funcional. O objetivo é identificar problemas já existentes e estabelecer o melhor tratamento para o paciente, bem como uma estratégia para prevenção de complicações futuras.

Circulo afetivo Por fim, estimular o contato com a família e amigos. Além da prática de uma atividade artística ou hobby para passar o tempo. Estas ações oferecem bons resultado e incentivam os idosos a cuidarem de si mesmos e buscarem uma vida plena e feliz.

× WhatsApp